quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Filosofia na Reitoria I - Liberdade

1ª Oficina de Filosofia Prática e Pensamento Crítico
Reitoria da Universidade do Porto

Resumo das duas primeiras sessões (13 e 14 de Outubro)

Logo na primeira sessão desta Oficina o grupo escolheu o conceito de liberdade como conceito a debater.
Sempre com este conceito presente foram sendo avançadas perguntas que iam abrindo o debate relacionando o conceito de liberdade com outros interligados como o de felicidade, vontade, escolha, consciência, etc.

Através das suas perguntas e respostas os participantes iam descobrindo novas perspectivas que permitiam o encontro com novos conceitos que iam, ora clarificando, ora dificultando, ora aprofundando a nossa investigação em torno da Liberdade.

Uma das perguntas que mais interessou o grupo era acerca da relação entre o conceito de Liberdade e o conceito de Felicidade, mais concretamente procurando saber se a Liberdade é uma condição suficiente para a Felicidade, ou seja, se basta haver liberdade para haver felicidade. Naturalmente a questão de saber se a liberdade é de todo necessária à felicidade também foi debatida, ou melhor, problematizada, uma vez que nestas duas primeiras sessões procurou-se sobretudo trabalhar a capacidade de fazer boas perguntas filosóficas e de encontrar conceitos pertinentes - Problematização e Conceptualização.

A pergunta que atingimos ao fim de duas sessões e de 6 horas de intensa discussão filosófica permitiu clarificar toda a questão e dirigir a investigação num sentido (de liberdade) muito claro:

Pode um escravo ser feliz?

Amanhã continuaremos a pensar...

2 comentários:

Hugo Oliveira disse...

Apesar de ter respondido que sim durante a sessão, é exactamente pelo mesmo argumento que agora defendo o não! Amanhã explico a controvérsia :p

Tomás disse...

Óptimo, vai ser interessante ver como as mesmas premissas podem levar (ou não) a duas conclusões diferentes.

Tomás